Google+ Followers

21 outubro 2011

ANDANDO DEVAGAR...


Aprendendo a andar quando nasci,
eu percebi que quando mais você 
evolui, mais você quer ir depressa
ao seu destino.
Na adolescência, os jovens também
andam depressa... Porque a vida 
deles anda depressa demais...
Agora ando devagar,
conto meus passos,
reflito pelos caminhos
penso em tudo que ficou
para trás.
penso que andei depressa 
demais...
deixei pela estrada da vida,
obras inacabadas
e que vale a pena resgatar
essas obras e terminá-las
no que me resta da vida,
Agora eu posso mudar,
adequá-las ao meu 
modo de vida,
posso analisar, 
acrescentar.
Posso reinventar...
Andando devagar posso
saborear a minha maturidade
as delícias da vida,
e tudo aquilo que nunca 
enxerguei, andando depressa demais!

by Mylla Galvão 

13 outubro 2011

VENTO...


vento... 
que balança as folhas,
que encrespa o mar,
que sacode as casas,
que joga os cabelos
para cima e se transforma 
em vendaval.
vento...
que derruba árvores,
que destrói plantações,
que sacoleja a terra...
Apenas o vento
por testemunha e nada 
mais...
Coloca ao teus pés,
o meu mais puro amor...
oscula em teus lábios 
um beijo doce,
devora seu rosto,
fustiga nele todo meu amor...
vento...vento...vento...

by Mylla Galvão

06 outubro 2011

SORRISO GIRASSOL


Teu sorriso é como esse girassol,
radiante, palpitante,
uma "belezura" de se ver...
Me encantei por ele, como
me encantaria por um
raio de sol...
Sua gargalhada é borbulhante,
esfuziante, aconchegante...
Quero-te ao meu lado para 
sorrirmos juntos...
Como o girassol que se ondula
ao sabor dos raios de sol...

by Mylla Galvão

02 outubro 2011

SOLIDÃO


Quando fico triste, sinto a solidão
me abraçar, me consumir 
por dentro de novo...
Quando você briga comigo, eu sinto
ela retornar para dentro de mim,
para retomar o lugar 
que sempre foi dela
até você chegar e 
expulsá-la de
dentro de mim...
Quando suas palavras são duras e insanas,
A solidão volta...
Volta com força,
com garras afiadas e
me dilacera por dentro...
Vem para dentro de mim de novo,
expulse-a mais uma vez...
E fique por aqui, para que ela 
nunca mais retorne...
Porque as garras dela são dolorosas
demais, machucam demais...

Te amo!

by Mylla Galvão