30 março 2010

SOLIDÃO


Ando tendo momentos indefinidos
de solidão...
solidão que vem quando menos espero, provocando lágrimas
que vão e vem como as ondas do mar...
Não me perguntem o motivo,
porque não o tenho...
Apenas me sinto só...
Mesmo em meio a muitas pessoas,
mesmo ao lado do amor
me sinto só...
Nem se eu cavasse um imenso buraco e colocasse
lá dentro toda a minha solidão,
nem assim ela sairia completamente
de mim...

by Mylla Galvão

29 março 2010

PORQUE?


Porque me machucaste tanto
num dia tão especial
para nós dois?
Porque fugistes de mim
quando o que eu só queria
era apenas ficar contigo?
Porque me deixaste dormindo
e saístes porta afora para retornares
apenas na calada da noite com
palavras vãs de açoites ao
meu coração?
Apenas queria curtir contigo,
uma data tão especial
quanto ontem...
UM ANO... juntos...
um ano de felicidade plena,
de entendimentos mútuos,
de carinhos trocados e
amor recebido...
E o que ganhei nesse dia:
apenas mais uma tarde e noite sozinha...
Porque?

by Mylla Galvão

25 março 2010

PENSAMENTOS...


Pensamentos...
te mostram tantos caminhos diferentes,
tantas pontes, tantas portas, tantas janelas a
descortinar...
mas o medo do "novo" sempre nos tolhe,
nos conduz não a aquilo que queremos,
mas sempre às velhas coisas...

Pensamentos...
As vezes se apresentam calmos e serenos,
como um lago plácido...
Em outras, bravio e orgulhosos,
como um mar rebelde...

Pensamentos...
Onde quer que vão, trazem para junto
de nós a certeza de que são apenas
conjecturas, algo que nos faz pensar,
apenas isso... Pensar!!!

by Mylla Galvão



22 março 2010

AMOR ARDENTE...


Jogos de pernas, se entrelaçando...
carinhos ardentes,
bocas que se buscam em um beijo ardente...
e em um só compasso... explodem-se em gozos...

by Mylla Galvão

19 março 2010

EU TE AMO...


Eu te amo meu amor,
Seus beijos cálidos são como
ruas de fogo em mim...
Suas mãos, seus carinhos
deixam meu corpo em brasa...
Você é a minha paz,
meu amor
meu coração e
a minha vida!!!

by Mylla Galvão

15 março 2010

O NOSSO MUNDO...



Que importa o mundo e as ilusões defuntas?...
Que importa o mundo seus orgulhos vãos?...
O mundo, Amor?... As nossas bocas juntas!...

FLORBELA ESPANCA

Fonte: www.astormentas.com

12 março 2010


Quando se tem liberdade para amar...
Quando não temos preconceito contra nada...
quando somos humildes para
aceitar as diferenças de cada um...
Quando queremos respeito por parte de alguém,
mas sabemos respeitar também...
Quando sabemos que a amizade é importante
na vida da gente...
Mas sem alegria, sem compreensão e sem confiança
por parte dos amigos... nada vale, nada é
importante!!!
Quando Deus faz parte da vida da gente,
E sem Ele...
Nada somos...
A vida é melhor quando...
Conheço gente interessante como você...
Lucy... Minha nova amiga virtual!!!

by Mylla Galvão

Este texto faz parte da Blogagem Coletiva do Blog Vida: Falando da Vida e de Vida


11 março 2010

BORBOLETA...


Hoje estou como as borboletas...
Ao léu... voando pelo céu azul...
meus pensamentos se entrechocam
dentro de mim: uma dualidade,
uma dor e uma alegria,
Fecho os olhos e olho dentro de
mim mesma...
Um imenso vazio se formou dentro
de mim, uma escuridão total...
Não encontro você minha luz!
Abro meus olhos e vejo imensas
cores: verde, azul infinito...
Minhas asas...
Meu corpo pequenino preso por duas
imensas asas...
Sou uma minúscula borboleta,
voando pelo imenso céu procurando pela
minha flor perfumada: você...

by Mylla Galvão

08 março 2010

MULHER DA VIDA



Mulher da Vida, minha Irmã.
De todos os tempos.
De todos os povos.
De todas as latitudes.
Ela vem do fundo imemorial das idades e
carrega a carga pesada dos mais
torpes sinônimos,
apelidos e apodos:
Mulher da zona,
Mulher da rua,
Mulher perdida,
Mulher à-toa.
Mulher da Vida, minha irmã.
Pisadas, espezinhadas, ameaçadas.
Desprotegidas e exploradas.
Ignoradas da Lei, da Justiça e do Direito.
Necessárias fisiologicamente.
Indestrutíveis.
Sobreviventes.
Possuídas e infamadas sempre por
aqueles que um dia as lançaram na vida.
Marcadas. Contaminadas,
Escorchadas. Discriminadas.
Nenhum direito lhes assiste.
Nenhum estatuto ou norma as protege.
Sobrevivem como erva cativa dos caminhos,
pisadas, maltratadas e renascidas.
Flor sombria, sementeira espinhal
gerada nos viveiros da miséria, da
pobreza e do abandono,
enraizada em todos os quadrantes da Terra.
Um dia, numa cidade longínqua, essa
mulher corria perseguida pelos homens que
a tinham maculado. Aflita, ouvindo o
tropel dos perseguidores e o sibilo das pedras,
ela encontrou-se com a Justiça.
A Justiça estendeu sua destra poderosa e
lançou o repto milenar:
“Aquele que estiver sem pecado
atire a primeira pedra”.
As pedras caíram
e os cobradores deram s costas.
O Justo falou então a palavra de eqüidade:
“Ninguém te condenou, mulher...
nem eu te condeno”.
A Justiça pesou a falta pelo peso
do sacrifício e este excedeu àquela.
Vilipendiada, esmagada.
Possuída e enxovalhada,
ela é a muralha que há milênios detém
as urgências brutais do homem para que
na sociedade possam coexistir a inocência,
a castidade e a virtude.
Na fragilidade de sua carne maculada
esbarra a exigência impiedosa do macho.
Sem cobertura de leis
e sem proteção legal,
ela atravessa a vida ultrajada
e imprescindível, pisoteada, explorada,
nem a sociedade a dispensa
nem lhe reconhece direitos
nem lhe dá proteção.
E quem já alcançou o ideal dessa mulher,
que um homem a tome pela mão,
a levante, e diga: minha companheira.
Mulher da Vida, minha irmã.
No fim dos tempos.
No dia da Grande Justiça
do Grande Juiz.
Serás remida e lavada
de toda condenação.
E o juiz da Grande Justiça
a vestirá de branco em
novo batismo de purificação.
Limpará as máculas de sua vida
humilhada e sacrificada
para que a Família Humana
possa subsistir sempre,
estrutura sólida e indestrurível
da sociedade,
de todos os povos,
de todos os tempos.
Mulher da Vida, minha irmã.


Cora Coralina

HOMENAGEM AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Fonte: www.lunaeamigos.com.br

06 março 2010


“Humildade

Senhor, fazei com que eu aceite
minha pobreza tal como sempre foi.

Que não sinta o que não tenho.
Não lamente o que podia ter
e se perdeu por caminhos errados
e nunca mais voltou.

Dai, Senhor, que minha humildade
seja como a chuva desejada
caindo mansa,
longa noite escura
numa terra sedenta
e num telhado velho.

Que eu possa agradecer a Vós,
minha cama estreita,
minhas coisinhas pobres,
minha casa de chão,
pedras e tábuas remontadas.
E ter sempre um feixe de lenha
debaixo do meu fogão de taipa,
e acender, eu mesma,
o fogo alegre da minha casa
na manhã de um novo dia que começa.”

CORA CORALINA

Fonte: www.pensador.info/cora_coralina_poema_mulher/


02 março 2010

ONTEM E HOJE ...


Ontem...
a noite foi boa,
a cama deliciosa,
o incenso perfumoso,
os nossos corpos impregnados
de um intenso amor...
Ontem...
Hoje...
amanhecemos com saudades,
dos beijos trocados,
das carícias intensas,
do amor saciado...
Hoje vamos dormir
separados de corpos...
mas juntos no coração e
no pensamento!!!

By Mylla Galvão



MÃES...#52SEMANASDEGRATIDÃO

O MUNDO QUERIA QUE AS MÃES FOSSEM ETERNAS, ETERNAS PARA AMAR, PARA CUIDAR, PARA PROTEGER SUAS CRIAS, SEUS FILHOS, MAS DEUS EM SUA I...