13 dezembro 2009

REFLEXÃO nº 1

Ninguém sonha duas vezes o mesmo sonho
Ninguém se banha duas vezes no mesmo rio
Nem ama duas vezes a mesma mulher.
Deus de onde tudo deriva
E a circulação e o movimento infinito.


Ainda não estamos habituados com o mundo
Nascer é muito comprido.

MURILO MENDES

Fonte: Jornal da Poesia

#SAUDADES ETERNAS

Nunca soube que você se chamava Fernando... Pra mim, sempre foi "Beto"... O Beto do sorrisão...  O Beto das baladas n...